Segunda, 09 Setembro 2019 11:14

Esculturas do corpo humano no Metrô e CPTM incentivam doação

Avalie este item
(0 votos)

Estações Sé, do Metrô, e Barra Funda, da CPTM, recebem obras em formato de órgãos e tecidos; ação faz parte do Setembro Verde, mês de conscientização sobre a doação de órgãos

As secretarias de Estado da Saúde e dos Transportes Metropolitanos montaram uma exposição itinerante com esculturas de órgãos do corpo humano com quase 2 metros de altura cada uma, que circularão pelas estações Sé, do Metrô, e Barra Funda, da CPTM, nas próximas semanas.
 

A iniciativa faz parte do “Setembro Verde”, mês que visa conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos.
 

A partir de hoje (9) até a próxima sexta-feira (13), a exposição estará na Estação Sé, da Linha 3-Vermelha do Metrô. Após esse período, as obras seguirão para a Estação Barra Funda, linhas 7-Rubi e 8-Diamante da CPTM, onde ficarão expostas entre os dias 16 e 27 de setembro, data em que se celebra o Dia Nacional do Doador de Órgãos. As esculturas poderão ser vistas das 10h às 16h.
 

A exposição reúne cinco esculturas de órgãos e tecidos: córnea, pulmão, rim, e duas representando o coração. Além das obras, técnicos da Central de Transplantes estarão nas estações para orientar e esclarecer dúvidas da população, que receberá materiais informativos. Cartazes também estarão afixados em murais nas demais estações do Metrô, da CPTM, da ViaQuatro, da ViaMobilidade e em ônibus da EMTU/SP.
 

“Conscientizar a população sobre a doação de órgãos é um passo importante para que muitas vidas sejam salvas”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.
 

“As estações do sistema metroferroviário recebem mais de 8 milhões de pessoas por dia. Acreditamos que é uma grande contribuição do Metrô e da CPTM trazer para suas estações uma tema tão importante como a doação de órgãos”, pontua o Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.
 

Atualmente, a doação de órgãos deve ser consentida. Quem quiser ser doador não precisa mais incluir a informação no RG ou na CNH. Basta comunicar os parentes mais próximos sobre o desejo.
 

A autorização para doação deve ser dada por familiares com até o 2º grau de parentesco. Por isso, é fundamental haver diálogo entre as famílias sobre o desejo de ser ou não doador de órgãos, pois isso facilita a tomada de decisão.
 

Somente no primeiro semestre deste ano, foram realizados 4.023 transplantes no Estado de São Paulo, sendo 2.583 de córnea, 1.008 de rim, 300 de fígado, 65 de coração, 30 de pâncreas e rim, 23 de pulmão e 14 de pâncreas. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.