Quinta, 25 Fevereiro 2016 17:26

"Sem querer querendo" CPP vai à Exposição do Chaves

Mônica de Araújo
Avalie este item
(2 votos)

"Ah, que burro, dá zero pra ele", “Tudo eu, tudo eu, tudo eu.” e “Sem querer, querendo” resumem a filosofia desse garotinho órfão, mundialmente consagrado, que tem uma barrica como casa. Se tem alguém irresistível é o Chaves. Quem não já se deliciou com as suas estripulias e mal entendidos com sua turma, que no final das contas tem sempre uma ótica otimista, ingênua e engraçada para finalizar a história?

 

O cenário da "Vila Oficial da turma do Chaves", no Memorial da América Latina, tem cheiro de infância. Desperta a saudade. Por isso,  a exposição  atrai uma legião de fãs da famosa comédia mexicana, escrita e interpretada pelo humorista e dramaturgo Roberto Gómez Bolaños, que, se vivo estivesse, teria completado 87 anos em 21 de fevereiro. Os fãs do Chaves são de todas as faixas etárias, de todas as classes sociais, no mundo inteiro. Chaves foi apresentado pela primeira vez, na TV, em 1971.

 

A engenheira química Karina Pereira Braga acredita que o sucesso da comédia está na identificação do público. "Ao contrário das criações americanas, o Chaves mostra uma realidade com jeito de Brasil, com crianças pobres e tudo mais, porém, com um humor leve”. Já a pedagoga Mônica Shiuzawa vê no seriado as muitas lembranças da sua vida. "Estou achando tudo muito legal. Cada detalhe. O Chaves fez parte da minha infância.”

 

“A primeira vez que o Memorial da América Latina trouxe a Vila do Chaves foi logo após a morte do seu criador, Roberto Gómez Bolaños. Foi espetacular. Mas tivemos pouco tempo para planejar. Porém, milhares de pessoas passaram por aqui. Então, os fãs pediram para que o Memorial trouxesse novamente a atração. Desta vez, tivemos mais tempo. O público é grande. Podemos até chegar a um resultado quinze vezes maior de pessoas que podem ter a oportunidade de conhecer todo o Memorial”, afirma o diretor-presidente da instituição, João Batista de Andrade.

 

A exposição ficará em cartaz até 27 de março no Pavilhão da Criatividade, na Praça da Sombra. Os ingressos são vendidos online, no Ingresso Rápido, e na bilheteria do Memorial – prédio da Administração, com acesso pelos portões 8 e 9.

 

De terça a sexta, das 9h às 18h e, aos finais de semana, das 9h às 22h.

Preços: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia, para estudante, crianças de 0 até 6 anos, idosos e pessoas com deficiência).



Para entrar no clima da Vila do Chaves é fácil: basta imaginar-se rodeado pelas atrapalhadas do Seu Madruga, Quico, Chiquinha, Dona Florinda, Professor Girafales, Seu Barriga e Dona Clotilde - e, claro, deixar o celular pronto para as fotos.


Fundação Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
Barra Funda – São Paulo SP
Telefone: 11 3823.4600
Site: www.memorial.org.br

Chaves (1)
Chaves (1)
Chaves (6)
Chaves (6)
Chaves (7)
Chaves (7)
Chaves (8)
Chaves (8)
Chaves (38)
Chaves (38)
Chaves (3)
Chaves (3)
Chaves (23)
Chaves (23)
Chaves (22)
Chaves (22)
Chaves (24)
Chaves (24)
Chaves (34)
Chaves (34)
Chaves (25)
Chaves (25)
Chaves (26)
Chaves (26)
Chaves (27)
Chaves (27)
Chaves (28)
Chaves (28)
Chaves (29)
Chaves (29)
Chaves (30)
Chaves (30)
Chaves (31)
Chaves (31)
Chaves (32)
Chaves (32)
Chaves (33)
Chaves (33)
Previous Next

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.