Terça, 29 Novembro 2022 11:06

Disal faz campanha para incentivar o hábito da leitura

Avalie este item
(0 votos)

Pesquisa mostra que o número de jovens entre 18 a 29 anos, que gostam de ler, cresceu durante a pandemia do Covid-19, passando de 63% para 72%


Ano após ano multiplicam-se as listas de dicas sobre como criar hábitos de leitura. Apoiadas na neurociência ou na boa vontade, as dicas falam sobretudo em escolher títulos que agradam, reservar um tempo para a leitura e também sobre não se pressionar. Além de a leitura nos proporcionar o aprendizado de uma forma lúdica, ela nos permite o acesso aos fatos históricos, é prazeroso e contribui para o nosso crescimento intelectual e cultural, desenvolvendo nosso senso crítico.

De acordo com um levantamento que saiu durante a 26ª Bienal do Livro em São Paulo, 31% dos brasileiros gostam de ler e 22% declararam não gostar. Além disso, o estudo mostra que os jovens entre 18 a 29 anos compuseram o quadro que mais cresceu passando de 63% para 72% no período de um ano de pandemia. Aproveitando esse cenário, a Disal, referência no mercado editorial, preparou uma campanha para auxiliar ainda mais no aumento desses dados, incentivando a leitura e mostrando que as páginas também são um meio de escapar rotina e se envolver em uma boa história.

Confira:

1. A lágrima do outro - Roberto Carvalho

Rejeitado pela moça por quem está apaixonado, Lindolfo passa a agir de modo dissimulado, egoístico e cruel, eliminando tudo o que representa empecilho aos seus objetivos e causando transtornos às pessoas que em algum momento lhe foram úteis. Ao se deparar com as consequências de suas escolhas equivocadas, aprende tardiamente que a lágrima do outro causa maior sofrimento em quem a provoca do que em quem a derrama.


2. Poetas negras brasileiras - Uma antologia - Jarid Arraes

O leitor tem em mãos uma preciosa antologia sobre a poética de mulheres negras. Uma obra panorâmica que nos apresenta vozes contemporâneas e nos convida ao mergulho num pluriverso de possibilidades de apreensões da mulheridade negra e suas escritas.

3. A Bela e o duque - Tanica Picon
Emma Aldermark costumava ser uma jovem otimista e bastante romântica, do tipo que acreditava em finais felizes, até que em uma sucessão de reviravoltas sua vida mudou. Com um ano de intervalo ela perdeu o noivo, a quem desde a infância estava prometida em casamento, e a mãe. Um tempo depois, ganhou uma madrasta malvada e duas irmãs postiças não muito legais com ela. Além de bela, Emma é inteligente, possuindo um grande fascínio pela leitura.

4. O beijo da Lua - Nana Valenttine

Luna Elizabeth Walker é uma doce jovem marcada pela dor. Amparada pelo tio após a morte de seus pais, a jovem tem sua liberdade roubada e, anos depois, se vê encurralada em um caminho sem volta. Quando Michael Preston, sexto duque de Blanchard, retorna à cidade após seis longos anos, não imagina que poderia se apaixonar instantaneamente pela jovem mais intrigante de toda a sociedade Londrina.


Lido 183 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.