Segunda, 06 Agosto 2018 16:38

Dia dos Pais: “Jamais cortei suas asas”, afirmou o maior apoiador de Malala

Avalie este item
(2 votos)

"Não me perguntem o que eu fiz. Perguntem o que eu não fiz. Eu não cortei suas asas, foi só isso", afirma Ziauddin Yousafzai, pai de Malala, a mais jovem vencedora do prêmio Nobel, em 2014.
 

Quem senão o pai estimularia a menina de 12 anos a ter tamanha dignidade e coragem o suficiente para encarar o fanatismo religioso islâmico no Paquistão só para ter o direito de estudar?
 

Quem, além do pai, motivaria Malala a buscar seus objetivos até que  se tornasse símbolo da luta pela educação das meninas do mundo todo?
 

Ziauddin Yousafzai é um grande exemplo para seus filhos; especialmente para Malala, que influenciada pelos valores de seu pai, em 9 de outubro de 2012, entrou em um ônibus para ir para a aula quando foi abordada por um soldado Talibã que disparou três tiros contra ela. Um deles atingiu o lado esquerdo de seu crânio. Por vários meses Malala ficou em coma. Ao acordar, começou sua vitoriosa luta pela educação.
 

Em entrevista à Newsweek, Ziauddin Yousafzai explicou o quanto se envergonha em ser um homem diante da maneira irracional como os homens têm tratados as mulheres. “O chauvinismo que mina ou rejeita as habilidades das mulheres é uma doença. “Os direitos das mulheres não estão a critério dos homens”, disse. “São direitos”, complementou Yousafzai.
 

Diante da importância da educação em todo o mundo e da única esperança que pode impulsionar o Brasil em direção à justiça e ao desenvolvimento, o Centro do Professorado Paulista, por meio do admirável posicionamento de Yousafzai, homenageia todos os pais, na passagem do seu dia. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.