Sexta, 10 Agosto 2018 18:16

Em Belém, protesto também cancela audiência da BNCC

Avalie este item
(0 votos)
Em Belém, protesto também cancela audiência da BNCC Foto: Sintepp

Assim como ocorreu na Região Sudeste, em São Paulo, em 8 de junho, a audiência pública da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio da Região Norte, em Belém (PA), foi cancelada. O motivo também foi manifestação de professores e estudantes, que batizaram o movimento de "Dia do Basta".

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), a BNCC promete retirar do currículo educacional disciplinas chaves como sociologia, filosofia, história e geografia. O documento, segundo a entidade, vai submeter alunos a um ensino precário e de baixa qualidade, o que inviabilizará o ingresso destes estudantes ao ensino superior.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) emitiu nota sobre o ocorrido, conforme segue.

CNE escuta estudantes da região Norte, mesmo após cancelamento da audiência pública em Belém

Em uma sala ao lado de onde aconteceria a audiência, o presidente do Conselho Nacional de Educação, Eduardo Deschamps, que também é o presidente da comissão que analisa a Base Nacional Comum Curricular no CNE, os relatores Chico Soares e Joaquim Neto - entre outros conselheiros- receberam cerca de 20 estudantes de Ensino Médio da região que relataram suas inquietações e dúvidas em relação às mudanças que os atingem diretamente. Foi um momento importante para que pudessem escutar e esclarecer as diversas dúvidas que envolvem questões de infraestrutura nas escolas, investimento na formação de professores, oportunidades iguais para alunos de escolas públicas e particulares, além da preocupação com o Enem.

A audiência foi cancelada por volta das 10h da manhã, após tentativas de negociação com professores e estudantes para que deixassem que os conselheiros ocupassem seus lugares e dessem início à Audiência Pública da Região Norte. Os manifestantes não deixaram o local e passaram a conduzir um debate no espaço que estava destinado à audiência até o fim da manhã, com o acompanhamento de um grupo de conselheiros.

Apesar de não ter acontecido da forma como foi planejada, o CNE considera que foi um momento importante já que a troca de ideias e as contribuições não deixaram de acontecer. Nesta reunião com os alunos, na conversa com professores e outros profissionais da educação, o objetivo de ouvir a sociedade sobre as questões relativas à BNCC e sobre as mudanças no Ensino Médio esteve presente.

O presidente do CNE lembra da importância do espaço de escuta que é a audiência púbica, citando um fato ocorrido na última audiência em Fortaleza representando a região nordeste. Um professor viajou mais de 10 horas para se inscrever para a fala e se manifestar contrariamente à BNCC e à Reforma do Ensino Médio. “Esta é a ideia das audiências públicas, dar voz a todos e o CNE, que está na fase de escutas, irá utilizar todas as contribuições em sua análise.” Deschamps também lembra que as audiências não são as únicas formas de contribuição, o CNE está recebendo representantes de instituições, além de uma área específica no site para opiniões sobre a BNCC e para download de documentos. As contribuições podem ser dadas até às 23h59 do dia 10 de setembro, data da última audiência que irá acontecer em Brasília.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.