Segunda, 24 Março 2014 17:37

Faltam 32 mil professores específicos

Avalie este item
(0 votos)

Auditoria do Tribunal de Contas da União, feita em parceria com tribunais de contas dos estados, indica a carência de 32 mil professores com formação específica nas 12 disciplinas obrigatórias do nível médio. Física, química e sociologia são as áreas mais carentes de professores. Na auditoria, constatou-se que há 61 mil professores concursados fora das salas de aula por estarem cedidos a órgãos diversos. Desses, cinco mil estão trabalhando fora da área de educação.

 

SECOM/CPP

1 Comentário

  • Link do comentário Denise Quarta, 26 Março 2014 18:01 postado por Denise

    Mas é evidente que um químico não vai pra sala de aula, por um salário miserável, não é? Ele vai para indústria, porque ganha mais e trabalha menos. Em 5 anos poderá estar ganhando 50% a mais. Já no Estado em 5 anos vai ganhar exatamente o mesmo, porque não pode pedir evolução, não pode fazer prova de mérito, não é valorizado...

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.