Terça, 23 Julho 2013 12:28

Proposta de vereador quer equiparar o salário do professor

Avalie este item
(0 votos)

CPP ouve o autor do projeto que propõe equiparar o subsídio de vereadores ao salário de professor.

O vereador Fernando Frederico de Almeida Junior, do PMDB, propôs na sessão do dia 17 de julho, na Câmara de Jaú, São Paulo, que o subsídio dos vereadores, de cerca de R$ 4 mil, seja equiparado ao salário dos professores de educação infantil da rede municipal de ensino.

A proposta precisa dos votos de dois terços da Câmara Municipal para que seja aprovada.

“O Projeto de Lei visa um teto para os subsídios dos vereadores. Uma média entre o menor e o maior salário do professor de educação infantil do município. Assim, é possível chamar a atenção para que a Câmara enxergue a urgência em desenvolver e cobrar mecanismos que visem à valorização do professor e à melhoria da qualidade da educação pública. Isso implica em forçar os vereadores a pensar antes de decidirem aumentar os próprios subsídios, porque teriam que brigar junto ao poder executivo para aumentar o salário dos professores.

No Brasil, vemos diminuir dia a dia o número de pessoas interessadas a ingressarem no magistério. Os fatores não se limitam à baixa remuneração. O problema é a grande desatenção. As dificuldades são gritantes. Vendo todos os obstáculos enfrentados pelos professores da rede pública pensei: não posso aumentar o salário deles. O que fazer, então? Assim, decidi propor este projeto para valorizá-los, afinal, político não deve ganhar mais do que professor.

A melhora da educação não está fundamentada apenas no salário do professor. Mas é evidente que este é o primeiro passo para uma real mudança no sistema educacional público” - declarou o vereador Fernando Frederico de Almeida Junior, que também é mestre em direito e doutor em educação, à Secretaria de Comunicação do CPP – Secom.



O vereador Fernando Frederico de Almeida Junior, do PMDB, propôs na sessão do dia 17 de julho, na Câmara de Jaú, São Paulo, que o subsídio dos vereadores, de cerca de R$ 4 mil, seja equiparado ao salário dos professores de educação infantil da rede municipal de ensino.

A proposta precisa dos votos de dois terços da Câmara Municipal para que seja aprovada.

“O Projeto de Lei visa um teto para os subsídios dos vereadores. Uma média entre o menor e o maior salário do professor de educação infantil do município. Assim, é possível chamar a atenção para que a Câmara enxergue a urgência em desenvolver e cobrar mecanismos que visem à valorização do professor e à melhoria da qualidade da educação pública. Isso implica em forçar os vereadores a pensar antes de decidirem aumentar os próprios subsídios, porque teriam que brigar junto ao poder executivo para aumentar o salário dos professores.

No Brasil, vemos diminuir dia a dia o número de pessoas interessadas a ingressarem no magistério. Os fatores não se limitam à baixa remuneração. O problema é a grande desatenção. As dificuldades são gritantes. Vendo todos os obstáculos enfrentados pelos professores da rede pública pensei: não posso aumentar o salário deles. O que fazer, então? Assim, decidi propor este projeto para valorizá-los, afinal, político não deve ganhar mais do que professor.

A melhora da educação não está fundamentada apenas no salário do professor. Mas é evidente que este é o primeiro passo para uma real mudança no sistema educacional público” - declarou o vereador Fernando Frederico de Almeida Junior, que também é mestre em direito e doutor em educação, à Secretaria de Comunicação do CPP – Secom.



Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.