Segunda, 22 Mai 2017 23:05

Comissão Paritária discute valorização dos professores

Avalie este item
(1 Voto)

Plano de carreira e reajuste salarial foram a pauta da primeira reunião da Comissão Paritária, que tem como representantes do CPP o presidente da entidade, professor José Maria Cancelliero, e a terceira vice-presidente, professora Maria Lúcia de Almeida.

Última modificação em Segunda, 22 Mai 2017 23:15

7 comentários

  • Link do comentário Antonio Vedoveli Quarta, 31 Mai 2017 19:38 postado por Antonio Vedoveli

    VALORIZAÇÃO DO PROFESSOR SÓ SE DARÁ COM AÇÕES E MOBILIZAÇÕES CONCRETAS ...NAS RUAS. O CPP PARECE QUE AINDA NÃO SE ESQUECEU DO PASSA-MOLEQUE QUE O ALKIMIN APLICOU NAS ENTIDADES, DEPOIS DE DISCUTIR POR QUATRO ANOS , SOBRE UMA NOVA CARREIRA DO MAGISTÉRIO.

  • Link do comentário Cicero Sexta, 26 Mai 2017 07:32 postado por Cicero

    Ainda bem que na REFORMA acabará com o imposto sindical,deixando assim livre as categorias para negociar diretamente com o governo,sem acordos políticos.

  • Link do comentário Maria Claudia Junqueira Quinta, 25 Mai 2017 15:23 postado por Maria Claudia Junqueira

    Olá. A próxima reunião será no dia 8 de junho e já temos tarefa até lá: revisar as resoluções que tratam do coordenador, vice, módulo etc. Maria Claudia - membro do Grupo de Trabalho da Comissão Paritária.

  • Link do comentário Prof. Mario Bagascio Quarta, 24 Mai 2017 14:19 postado por Prof. Mario Bagascio

    Decepcionante essa "reunião" da comissão paritária visando à valorização do professor (entenda-se: pagamento digno e não quirera e pagamento defasado há 03 anos). Primeiramente, alquinóquio mudou, de motu-proprio, nossa data-base, de 01 de Março para 01 de Julho. Não satisfeito com isso (frise-se: ganha tempo e pode investir o dinheiro que seria utilizado para um reajuste salarial, auferindo mais $$$), decretou, há 03 (TRÊS) anos que o estado mais rico e poderoso da federação está .... sem condições de dar reajuste de salário (entenda: reajuste diz respeito às perdas, e não aumento, que seria além da inflação). Agora, alquinóquio, jogando a culpa na Secretaria da Fazenda, diz que "vai ver a situação do caixa", para ver a possibilidade de dar um reajuste, estudando-se isso tão somente para ................... 08 DE AGOSTO!!! Quem já conhece nosso "alquinóquio", sabe que ele está, ao mentir descaradamente, tão-somente ganhando tempo para dar a RESPOSTA PADRÃO: A CRISE NÃO PERMITE DAR REAJUSTE. FIQUEM CONTENTES POR "TER SEUS SALÁRIOS PAGOS EM DIA". Afinal, a escravidão-branca do funcionalismo estadual paulista está cada vez mais patente. Estamos falidos, estamos com essa maldita política peessedebista há mais de 20 (vinte) anos destruindo-nos. Quando essa praga vai acabar????

  • Link do comentário Vilmar Alves da Cunha Terça, 23 Mai 2017 18:55 postado por Vilmar Alves da Cunha

    Espero que o objetivo do governo com essa comissão não seja apenas para iludir os professores. Depois de vários anos sem aumento salarial o governo precisa mais 3 meses para pensar no que fazer... Será que isso já é prenúncio para a terceirização da educação em São Paulo, inclusive dos professores. Abraços.

  • Link do comentário glaucia rodrigues Terça, 23 Mai 2017 16:50 postado por glaucia rodrigues

    Só pode ser piada mesmo do governo. É pra rir ou pra chorar. Enquanto há crise para dar alguns trocados para os professores, que já ganham mal e estão com os salários megadefasados, por um outro lado desvio de milhões são desviados, roubados dos cofres públicos pelos políticos. Não devemos aceitar, reajuste já!! Chega de conversa afiada desse governo!

  • Link do comentário Rafael Paulo Ferreira Terça, 23 Mai 2017 09:42 postado por Rafael Paulo Ferreira

    Gente, 8 de Agosto? É isso mesmo? Deve ser brincadeira!! Para dar a resposta que sabemos qual será: a crise não permite! Então fala logo.
    E o CPP aceitou obter uma resposta daqui 3 meses? Técnicos? Aqui é Educação. Por isso as entidades, os professores e no caso, EU, estamos falidos. Que fracasso!

    Resposta CPP: A resolução que convocou a Comissão Paritária foi clara quanto ao seu objetivo:
    analisar a META 17 do Plano Estadual de Educação e propor o Plano de Carreira e Estatuto (também muito importante para nós). É claro que o presidente do CPP sempre colocará em discussão o problema dos nossos salários tentando expandir a discussão para esse ponto que é fundamental.

    Quanto ao concurso, o CPP sempre defendeu esse ponto, inclusive na CONAE Municipal e, é pelo concurso que iremos lutar na Comissão.
    Se você tiver mais sugestões para a Meta 17, Estatuto e Plano de Carreira, agradeço. Por favor, envie para o meu e-mail: formacao@cpp.org.br .

    Abraço
    Maria Claudia

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.