Imprimir esta página
Terça, 22 Setembro 2020 10:48

Sede de Mairiporã se reúne com prefeito contra volta às aulas

Avalie este item
(1 Voto)
Sede de Mairiporã se reúne com prefeito contra volta às aulas Foto: divulgação

Os Representantes das Escolas Estaduais do Centro Professorado Paulista, preocupados primeiramente com os alunos e também com os professores e funcionários das escolas, procuraram a Sede do CPP Mairiporã para viabilizar uma reunião com o prefeito Antônio Shigueyuki Aicyda e sua equipe, já que a decisão do retorno às aulas, de acordo com o Plano São Paulo, cabe a cada município. A primeira reunião aconteceu em 8 de setembro. Passo fundamental para a conquista da categoria.

Após reunião presencial da professora Nasimilia Monteiro Chamma Ferreira, diretora da Regional com os representantes de escolas, firmando ser inaceitável a reabertura das escolas, especialmente num momento tão grave, onde se constata que a pandemia não acabou e que o retorno colocaria em risco a vida dos professores, funcionários e alunos, foi publicado o Decreto 9.004/2020, em Diário Oficial, no dia 17 de setembro, prorrogando as atividades escolares remotas na rede estadual até 31 de dezembro deste ano.

Essa decisão foi fundamentada em estudos realizados pela Secretaria da Saúde, referentes à pandemia do novo coronavírus. A diretora da sede agradece o prefeito por atender os anseios dos profissionais do magistério, assim como a secretária da Saúde, Graziele Bertolini, que deu uma aula para o grupo sobre as causas, consequências e prevenção dessa terrível doença, e a secretária da Educação Sonia Alves Achnitz, que não mediu esforços para colaborar com os professores estaduais, e aos representantes do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) - Covid-19 da professora Leila Ravázio, associada do CPP.


A cidade vem se posicionando contrária ao retorno das aulas presenciais no município diante do atual cenário de pandemia. Após discussão dentro do colegiado, os demais municípios manifestaram seus posicionamentos, em consonância com a decisão de Mairiporã.

Em diversas ações, o CPP também lançou uma campanha: "Diga não ao retorno presencial nas escolas".

Lido 540 vezes