Quinta, 17 Junho 2021 16:09

Azuaite sugere em tribuna "Prêmio Professor Sérgio Mascarenhas"

Avalie este item
(0 votos)
Azuaite sugere em tribuna "Prêmio Professor Sérgio Mascarenhas" Vereador Azuaite: Projeto busca estabelecer parâmetros para uma política municipal de cultura. Foto: Divulgação

Vereador destacou importante legado do cientista: "São Carlos seria uma cidade medíocre, não fossem as universidades e o legado que ele nos deixa"


O vereador Azuaite Martins de França (Cidadania) propôs que a Câmara Municipal institua o "Prêmio Professor Sérgio Mascarenhas de Oliveira de Ciência e Inovação" e, ao manifestar em 1º de junho voto de pesar pelo falecimento do cientista ocorrido no dia 31 de maio, solicitou que o Legislativo são-carlense declarasse luto oficial de três dias como homenagem póstuma.

"A lição de casa do professor Sérgio Mascarenhas para todos nós é defender as universidades públicas e, ao fazê-lo, defender o Brasil", disse Azuaite em pronunciamento na sessão plenária da Câmara. Citando a frase do escritor russo Leon Tolstoi (1828-1910) "se queres ser universal, começa por pintar a tua própria aldeia", o parlamentar disse que Mascarenhas "colocou o universo nessa província e fez com que ela ganhasse o universo e a grandiosidade de se tornar a Capital da Tecnologia" .

"Sérgio Mascarenhas é o homem que eu gostaria de ser pela sua visão de futuro, seu espírito de solidariedade, por tudo aquilo que conheço dele e felizmente tive o prazer de privar um povo de seu convívio e de sua amizade", acrescentou.

Para Azuaite, "o professor Sérgio é uma das pessoas essenciais para a cidade de São Carlos e para sua história, porque lá atrás, em 1953, traçou o plano para fazer da cidade aquilo que ela é e, mais que isso, aquilo que ela vai ser". Destacou que, nos anos 1950, Mascarenhas e a professora Yvonne Primerano, professores universitários na capital federal, o Rio de Janeiro, resolveram aceitar o convite da nascente Universidade de São Paulo no campus de São Carlos, então uma cidade pequena, com algumas indústrias, mão de obra operária e escolas como o Instituto Dr.Alvaro Guião, a escola Industrial, o Senai, a Escola de Educação Física, a escola Dom Gastão na Vila Prado.

"Sérgio Mascarenhas ousou fazer crescer a USP em São Carlos com suas aulas, talento e visão de mundo; articulou com Ernesto Pereira Lopes e outras pessoas e fez surgir posteriormente a Universidade Federal de São Carlos, então a única universidade federal do estado de São Paulo", ressaltou.

O parlamentar acrescentou: "Ele inventou cursos. Não existia o curso de engenharia de materiais no Brasil, foi ele quem fez, articulou-se com o resto do Brasil e com o mundo. Fundou a Embrapa Instrumentação, vislumbrando a necessidade de colocar a física na agricultura, casando a ciência com a tradição da agricultura brasileira fazendo do agricultor e do pecuarista que choravam a falta de apoio do governo personagens decisivos no agronegócio, hoje responsável pela pauta maior de exportações e pelo que ainda tem de positivo no PIB do Brasil".

"O professor Mascarenhas pensou estrategicamente a cidade de São Carlos. Imagine a cidade sem os campi I e II da USP, a UFSCar e a Embrapa, sem os alunos e pesquisadores. São Carlos seria uma cidade medíocre, não fossem as universidades e o legado que ele nos deixa", concluiu Azuaite.

Lido 186 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.