Imprimir esta página
Quarta, 24 Janeiro 2018 15:58

Readaptado prejudicado pode entrar com ação individual

Avalie este item
(3 votos)

O Departamento Jurídico vem recebendo diversas reclamações de associados sobre a cessação da readaptação. Relatam que as perícias estão sendo realizadas de forma arbitrária, desconsiderando o real estado de saúde dos professores.
 

Assim, o associado que se sentir prejudicado com a cessação da readaptação deverá procurar o Departamento Jurídico para que seja analisada individualmente a possibilidade de Ação Judicial.
 

Informações pelos telefones: (11) 3340-0500

E-mail: juridico@cpp.org.br

 

4 comentários

  • Link do comentário Ingrid Luiz Segunda, 30 Julho 2018 16:12 postado por Ingrid Luiz

    Eu sou professora, e estava afastada tem 5 anos, quando efetivei, ingressei com carga horaria de 30h/a semanais, e carga suplementar de 15 /a semanais. Me afastando, o calculo de pagamento foi feito em cima das 45h semanais. Agora me readaptaram com 30h/semanais. Eu vi que tem uma SE n 18 de 10/04/17 que trata sobre isso. E no seu art 8, paragrafo 1º II e II, que pode ser pela média de 60 meses, como que eu solicito que sejam 40 h semanais ? Eu não poderia estar readaptada, mas para não perder eu preciso que sejam 40h semanais, pois com 30 h, haverá uma queda brusca de vctos.
    CPP: mensagem encaminhada ao Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail. Att.

  • Link do comentário Conceição Aparecida Donizete dionisio da Silva Quarta, 18 Abril 2018 00:05 postado por Conceição Aparecida Donizete dionisio da Silva

    Boa noite
    Sou professora PEB I efetiva d readaptada definitiva e me formei em 1986.mas já iniciei substituição no dia do meu aniversário em 16/11/84 e assim foi ministrando umas aulas de substituição em algumas escolas.Antes de me formar no Magistério em 1986 agosto de 1986 assumi uma escola como estagiaria e nesta U.E permaneci anos em sala de aula.Digo então agoto de 1996 Estagiaria e já em 1987 iniciei minha aventura maravilhosa de PEB I.Logo me efetivei ,fiquei adida fui passei por outras escolas retornei a escola de origem e naquela mudança de Municipalização passeei em 22} lugar em Mairiporã onde tive que optar.Foi difícil pedir afastamento em agosto para assumir município onde não tinha como permanecer em ambos pois naquela época ultrapassava a carga horaria e não aceitavam que fizessem HTPC como hj tudo se tornou mais maleável..Bom,retornei no ano seguinte logo em fevereiro pois não suportei a pressão da Municipalização e nem mesmo aceitava e voltei ficando adidana minha escola mas continuei trabalhando por escolhas feitas na D.E quando uma escola municipalizava.
    Portanto desde 86 trabalho no Magistério e como ultrapassou meu tempo pedi que me auxiliassem junto a DE quando entrava com aposentadoria.Pelo calculo a D.E de Caieiras disse que seria em 16/11/2017 e logo apos pedi aposentadoria.
    Readaptada por problemas de visão so tirava licença em caso de ulceração na córnea ja que usava lentes de contato acrílica por ter Ceratocone e quando fiz cirurgia de transplante de cornea.Digo que a mais longa licença foi quando o perito me deu 60,30 e 60 para aguardar publicação no D.O e este ano passado ao descobrir que meu marido estava com demência e tive que me ausentar para cuidar dele.
    Esta semana chegou a resposta tão sonhada enviada para minha U.E.
    "Analisei o processo da interessada e ela não faz jus ao abono de permanência. Solicitam a icha 101 a ficha 101 e o GDAE pois os dados não estão conferindo.
    A interessada já possui 25 anos de efetivo exercício magistério no entanto como está readaptada desde 05/07/2014 o tempo deixou de ser contabilizado para aposentadora especial.e ainda diz para r solicitante entrar com a entidade de classe...
    O que pergunto é.porque não receber meu abono de permanência se contribui com 32 anos e já indo para 33 anos? Fiz 53 anos de idade em novembro do ano passado e fui orientada pela propria DE para entrar neste momento pois diziam cada ano seria menos um ano.Também porque um readaptado não faz juz a aposentadoria especial se ele trabalha mais que tudo.É tudo na escola.Trabalhei em sala de leitura das escolas onde estava e participava de todos os projetos da escola e ainda quantos maus tratos de próprios amigos que já não nos veem como professores e muito capazes.Depois de tantos anos não ter direito ao abono de permanencia que paguei a mais e a tão sonhada aposentadoria especial.
    Vcs poderiam me ajudar a compreeender esta situação.
    Fui na D.E reclamar e a jovem que fez a contagem disse que faltam apenas 4 meses para eu me aposentar e não tenho direito ao abono de permanência.Espero melhor explicação sobre isto pois não entendi.Mesmo com minha dificuldade trabalhei,paguei tempo a mais ..
    Espero que me expliquem .
    Agradeço.(1986-2018= 32 anos praticamente em agosto 33 anos de contribuição e mesmo que tenha retornado da Prefeitura tive que pagar o tempo e não deixei de trabalhar entrando na conttagem.
    Espero retorno.
    CPP: mensagem encaminhada ao Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail. Att.

  • Link do comentário Nanci Ayres Brandao Sexta, 23 Março 2018 09:42 postado por Nanci Ayres Brandao

    Bom dia sou professora readaptada eu estou coberta de duvidas.Gostaria de saber se tenho direiro a aposentadoria especial? Eu vou completar 25 de estado em novembro de 2018,mas averbei 5 anos de empresa privada.Quero saber se esse tempo de empresa privada pode ser averbado aos 24 de estado,no caso completam 29 anos,e se tenho direito a especial,ja passaram 4 anos. Tenho 53 anos vou fazer 54 em 04/2018,qual e a idade exigida?.Quero saber tb se essa averbaçao vai beneficiar ou prejudicar ,pq esta esta inclusa no meu puct,so será averbada mesmo no momento em que for solicitado a liquidaçao de tempo.Se tenho direito a especial em novembro deste ano competo 25 anos.Ai nao averbarei legalmente o tempo de empresa privada.

    Grata.

    CPP: mensagem encaminhada à Procuradoria. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail. Att.

  • Link do comentário pedro fernandes ribeiro Segunda, 29 Janeiro 2018 17:26 postado por pedro fernandes ribeiro

    Pode continuar com uma liminar,nesta ação?