Quinta, 08 Fevereiro 2018 18:24

Orientação sobre cessação de readaptação

Avalie este item
(10 votos)

O Departamento Jurídico tem recebido diversos questionamentos e pedidos de orientação sobre a cessação da readaptação. Assim, a orientação é que os associados que se sentirem prejudicados com a cessação da readaptação procurem o setor, a fim de que seja analisada individualmente a possibilidade de Ação Judicial.

Para análise, o associado deve apresentar relatórios de tratamento médico antigos e atuais, assim como parecer do perito do DPME–Departamento de Pericias Médicas do Estado, sobre a reavaliação da readaptação. 
      

Para obtenção do indeferimento da readaptação junto ao DPME, o associado poderá solicitar vista do prontuário pelo e-mail prontuariosmedicos@sp.gov.br.

O Jurídico orienta ainda que o associado que estiver incapaz de assumir sua função original solicite licença-médica em sua Unidade Escolar.

26 comentários

  • Link do comentário Maria Ivonete Lopes Quarta, 20 Março 2019 21:27 postado por Maria Ivonete Lopes

    Boa noite . Estive readaptada por 13 anos , em junho de 2018 passei por perícia e somente no dia 14 de janeiro a escola me informou que havia cessado a minha readaptação. Tive que pegar aulas no terceiro dia já fiquei completamente sem voz e tirei 14 dias de licença, hoje estou trabalhando ou melhor quase enlouquecendo com o barulho de alunos com salas extremamente numerosas. Meu Deus o que fazer? Por que judiar de nós professores , estou com 65 anos e estou muito triste com a indiferença que nos tratam .

  • Link do comentário José Donizete Ferreira dos Santos Quarta, 13 Fevereiro 2019 07:58 postado por José Donizete Ferreira dos Santos

    Tenho impressão que dezembro foi mês de caça às bruxas.
    Independentemente daa patologias e documentação, houve uma enxurrada de cessação.
    Buscar jurídico é a saída, mas ficar pedindo licença, mês a mês enquanto o processo é analisado é ruim.
    O DPME e políticas públicas
    De outro lado médicos, escola e justificativas fundamentadas deverá ser analisado de forma mais séria.
    Tanto pelo CPP, APEOESP, diretoria de ensino e afins.
    CPP: encaminhado ao Departamento Jurídico. Aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Lilian Moreda Perroni Quarta, 16 Janeiro 2019 08:45 postado por Lilian Moreda Perroni

    Tendo readaptação cessada em 11/12/2018, pedi ao licença médica 30 dias a partir de 14/12/2018, está também saiu negada. Diante disso pedi por e-mail a vista do prontuário junto ao DPME, gostaria de saber sobre recursos já que meu laudo de readaptação foi por distúrbios CID F32.2, F41.1 E F42.2;
    A obs do Rol :" NÃO EXERCER ATIVIDADE DOCENTE EM SALA DE AULA, NEM TRABALHAR DIRETAMENTE COM ALUNOS".

    Na certeza do atendimento urgente agradeço.
    Lilian Perroni

  • Link do comentário Marilia Campos Arruda Sexta, 21 Dezembro 2018 00:21 postado por Marilia Campos Arruda

    Hoje minha readaptação foi cessada. Tenho 67 anos, com depressão em razão de atentado dentro de sala de aula. Ainda não tenho tempo para me aposentar. O que me orientam fazer?

    CPP: encaminhada ao Jurídico. Aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Marilza pereira Sexta, 07 Dezembro 2018 23:36 postado por Marilza pereira

    Minha readaptação foi cessada no diário de hj,sou agente de serviços,readaptada pela pneumologia,pois sou asmática e pela ortopedia,sendo q minha perícia foi feita só pela ortopedia,me orientem por favor.

    CPP: mensagem enviada ao Jurídico. Aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Sonia  Regina Pinto Sexta, 02 Novembro 2018 21:21 postado por Sonia Regina Pinto

    Sou agente de organização escolar, passei em perícia de manutenção da Readaptação em 28/03/2018 e em 01/11/2018 fui cessada, tenho problema no joelho esquerdo e ombro além de uma oesteoporose severa na Lombar, osteoartrose lombar, esclerose das articulações , faço tratamento no Iamspe com grupo de joelho, grupo de ombro e reumatologia e fisiatra, com laudos de todos esses especialistas atestando a minha imcapacidade e, principalmente em ficar em pé, subir escadas, atividade de risco e perigo de trauma. Tenho 62 anos e todos os exames possíveis, como ressonância, ultrassom, rx, desintrometria, todos atuliazados ano a ano.
    Como os próprios médicos do Iamspe que me assistem afirmam que, não posso ficar em um pátio com 500 alunos 8'horas por dia, pois corro riscos de encontrões empurrões e até mesmo de queda, e com os ossos fragilizados, caso venha a sofrer traumas corro o risco de nem andar mais, além te agravar a doença que tenho no joelho, todos são unânimes em seus laudos em pedir sempre pela manutenção da readaptação.
    Não quero ficar encostada no Estado tirando uma licença atrás da outra, só quero a dignidade de desenvolver outra função que não traga riscos e me prejudique ainda mais, assim como vinha desenvolvendo a dois anos.
    Por tudo que relatei, peço ajuda e orientação de como devo proceder ou se existe meios de entrar judicialmente.
    CPP: mensagem encaminhada ao Departamento Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Ana Paula Quarta, 24 Outubro 2018 14:24 postado por Ana Paula

    Olá, Sou Professora da rede Estadual e municipal de São Paulo. Descobri que tinha pólipos nas pregas vocais no ano de 2010 (devido à profissão) e passei por cirurgia e acompanhamento fonoaudiólogo durante alguns meses. Após 4 anos da cirurgia voltei a ter os mesmo sintomas que me levou ao diagnostico de uma lesão Irreparável e permanente nas pregas vocais devido a cirurgia. Estou readaptada na Prefeitura e no Estado fiquei readaptada por 2 anos e meio, tendo a minha readaptação cessada no meio deste mês (outubro/18). Mesmo doente e com toda dificuldade vocal fui cessada e obrigada a voltar para sala de aula. (Aliás, posso dizer que a grande maioria dos profissionais da rede teve uma cura quase que milagrosa, pois muitos tiveram suas readaptações cessada assim como eu). Para desespero ainda maior, além de ter que voltar a ministrar aulas sem condições vocais para tal e para minha surpresa, eu professora EFETIVA DA REDE iria ficar com aulas dos últimos professores da escala SEM RESPEITAR O MEU HORÁRIO DE ACÚMULO COM A PREFEITURA, toda orientação que recebi foi, “se não der com seu horário professora, vai ter que EXONERAR”, como se eu tivesse achado meu cargo em qualquer esquina! Além de voltar doente pra sala de aula e sem condições vocais, tirar uma colega de trabalho das aulas, corri o risco de peder um cargo de 19 anos, foi uma experiência muito angustiante, na qual se percebe claramente que já é feito desta forma para ficar mais fácil de livrar-se do profissional doente.
    Até quando a rede do Estado de São Paulo vai tratar o professor com tanto descaso assim?
    Desta vez deu certo pra mim, mas fico me perguntando quantos professores passaram ou passarão por isso e tiveram ou terão que abrir mão de seus cargos? Ou, se no futuro eu voltarei a passar por toda esta situação novamente? Ninguém pede para adoecer, se adoecemos é por diversos fatores ao longo do tempo dentro da nossa profissão. Não temos garantia de nada, é angustiante não contar com uma lei que defenda o profissional doente ou que ao menos garantisse um retorno menos traumático, respeitando o acúmulo deste profissional e garantindo alguns direitos.
    CPP: mensagem encaminhada ao Departamento Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Adna Cristina da Silva Quarta, 24 Outubro 2018 12:10 postado por Adna Cristina da Silva

    Bom dia!
    Sou PEB II e estava readaptada desde 2015 por perda auditiva. Passei em perícia em fevereiro/ 2018 e em 21/09/2018 publicaram a cessação da minha readaptação. Juntei exame de audiometria solicitado pelo otorrino afirmando que devo trabalhar em local com menor nível de ruído,pois minha perda auditiva é bilateral condutiva de 40db; laudo da psiquiatra declarando que estou em tratamento com uso de medicamento "Escitalopram" 30mg/dia e também um laudo do neurologista, devido a sintomas de Fibromialgia, levei ao DPME dia 08/10/2018 e protocolei, apesar das palavras desestimulantes das atendentes. Estou aguardando a resposta. Solicito que me orientem quanto ao próximo passo, caso seja indeferido o pedido de reconsideração da readaptação.
    CPP: mensagem encaminhada ao Departamento Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário joo morishita Quarta, 24 Outubro 2018 11:02 postado por joo morishita

    bom dia fui cessado no DO do dia 21/09 /18, sexta feira, neste dia pedi abono de ponto, entrei em licença medica no dia 24/09/18, portanto conforme a legislação A cessação da readaptação é efetivada, somente com a publicação da Súmula de Cessação, em DO, na Seção II, pela CAAS. 6. Publicada a Súmula de Cessação, o servidor deverá assumir o exercício na nova situação, no 1º dia útil, imediatamente subseqüente à publicação, ou, conforme o caso, após término de férias ou licença a qualquer título, portanto não assumi a nova condição como professor em sala de aula,
    Neste período o meu vencimento sera o mesmo anterior a cessação ou conforme a atribuição da nova jornada.
    CPP: mensagem encaminhada ao Departamento Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário marineusa de fatima teixeira Domingo, 14 Outubro 2018 20:42 postado por marineusa de fatima teixeira

    fui cessada de minha readaptação dia 12/10/18, era agente de serviços escolares, cargo que tem pouca escola com mesmo, não tenho condições de voltar tenho dores no meu corpo todo o que faço?

    CPP: mensagem encaminhada ao Jurídico. Por gentileza, aguarde retorno por e-mail.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.